CPI da Covid ouve nesta terça Osmar Terra, apontado como padrinho do gabinete paralelo.

0
330
A CPI da Pandemia, no Senado, ouve hoje (terça-feira 22/06/2021) o deputado Osmar Terra (MDB-RS), ex-ministro da Cidadania que é apontado como integrante do “gabinete paralelo”, orientador do presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento ao coronavírus. Ele deve depor na condição de convidado.
E a participação de Osmar Terra no “gabinete paralelo” foi citada pela primeira vez em maio, durante depoimento do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta à CPI. Na ocasião, Mandetta afirmou que “outras pessoas” buscavam desautorizar orientações do Ministério da Saúde ao Presidente da República Jair Bolsonaro.
Em reunião realizada em setembro do ano passado, com a presença do presidente da República, Osmar Terrar foi apresentado como “padrinho” de um grupo de médicos que apoiavam o uso de remédios sem eficácia, contra a covid-19.
“Em várias oportunidades, Osmar Terra externou sua opinião sobre a forma como deveria se dar o enfrentamento à crise. Sendo a imunização coletiva, não pela vacinação em massa da população, mas por meio da exposição do maior número possível de pessoas”, afirmam os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Rogério Carvalho (PT-SE) na justificativa do requerimento aprovado pela CPI.
O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) é autor de outro pedido para ouvir Osmar Terra. Embora os requerimentos tenham sido inicialmente apresentados como convocação, acabaram sendo votados na forma de convite.
Ministra do STF suspende convocação de governadores.
Em decisão desta segunda-feira (21/6), a ministra Rosa Weber do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu as convocações de governadores aprovadas pela CPI da Pandemia. Para ela, a comissão pode apenas convidar governadores a depor, mas eles não são obrigados a comparecer. Entretanto, a decisão de Rosa Weber é liminar e ainda precisa ser analisada pelo plenário do STF.
A ministra Rosa Weber, afirma em sua decisão, também, que comissões parlamentares de inquérito (CPIs) não podem investigar o uso, pelos estados, de recursos provenientes de repasses federais. Na liminar concedida pela ministra, diz, ainda que a comissão parlamentar de inquérito não pode convocar o presidente da República. Mas, apenas seus ministros.
Com a decisão de Rosa Weber, ficam suspensas as convocações e os depoimentos de governadores de estados já aprovados, ou agendados pela CPI da Pandemia. São eles: Antônio Garcia (RR), Carlos Moisés (SC), Coronel Marcos Rocha (RO), Hélder Barbalho (PA), Ibaneis Rocha (DF), Mauro Carlesse (TO), Waldez Góes (AP), Wellington Dias (PI) e Wilson Lima (AM).
Fonte: Portal Notícias Goiás -Com informações da Agência Estado
Por: Manoel Messias Rodrigues
EDIÇÃO – WILSON BARBOSA – JORNAL CIDADES
+3