Governo de Goiás certifica fazendas livres de brucelose e tuberculose

0
18
Duas fazendas de Goiás foram certificadas pelo Governo de Goiás, através da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) como propriedades livres de brucelose e tuberculose.
Uma delas é a fazenda Bálsamo, localizada no município de Guapó, com atividade principal da produção leiteira, de propriedade do pecuarista, João Vicente Rodrigues Borges que, com assistência técnica do médico veterinário habilitado Vilton Francisco de Assis Júnior, adotou todas as medidas sanitárias e normas do Mapa para obter a certificação.
A outra propriedade certificada é a Fazenda Santa Rosa, localizada no município de Caturaí, pertencente ao criador Mauro Miranda Soares, que recebe consultoria técnica do médico veterinário habilitado Hélio Bernardes Pires Júnior. Em ambas as fazendas, a validade de certificação é de um ano.
O Presidente da Agrodefesa, José Essado, observa que a prevenção e combate à brucelose e à tuberculose fazem parte das ações sanitárias da Agência, que inclusive estimula os criadores a buscarem o status de propriedade livre dessas doenças. “A grande vantagem é agregar valor à produção e ao plantel, além de que por um ano a propriedade não precisará apresentar atestados de exames negativos de brucelose e tuberculose no transporte dos animais para dentro e fora do Estado e/ou para participar de eventos agropecuários”, reforça.
Importância
João Vicente Borges afirma que a condição de ser uma unidade de produção pecuária livre de brucelose e tuberculose é de grande relevância, primeiro pela certeza de sanidade dos animais e depois porque, especialmente no seu caso, o leite é processado cru, para produção de queijos artesanais cujo sistema de produção é inspecionado pela Agrodefesa e por isso mesmo já são detentores do Selo Arte.
“A saúde do rebanho é fundamental para garantirmos a oferta de produtos de qualidade ao mercado consumidor, sem qualquer risco para a saúde das pessoas”, afirma João Vicente. Ele ressalta também que atuar com transparência e conquistar credibilidade são aspectos fundamentais. “A expectativa é que os investimentos feitos possam resultar também em agregação de valor inclusive na comercialização dos animais. Nossa intenção é continuar trabalhando para manter a certificação”, arrematou ele.
Normas técnicas
Todos os pecuaristas interessados podem buscar a certificação de propriedade livre de brucelose e tuberculose. Para tanto, precisa implementar e cumprir os requisitos sanitários previstos no Regulamento Técnico do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose, regulado pela Instrução Normativa nº 10, de 3 de março de 2017, da Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) do Mapa que, inclusive delegou ao Serviço Veterinário Oficial de Goiás (Agrodefesa) a função para realizar a certificação.
Fonte: Secom-GO
Reedição: Wilson Barbosa – Jornal Cidades
@jornalcidadesgoiatuba