Ponte Affonso Penna continua interditada e sem data para liberação.

0
845
A ponte Affonso Penna, que liga o Estado de Goiás à Minas Gerais foi interditada em abril deste ano, por problemas na parte de estrutura comprometida após um caminhão passar sobre ela e danificá-la. Ela continua interditada, sem data para liberação do tráfego.
O IPHAN – Instituto do Patrimônio Público, disse em nota, que fez uma vistoria e constatou sérios problemas estruturais na Ponte Affonso Penna, inclusive com os cabos de sustentação desconectando, indicando um possível desequilíbrio de forças. Devido a esse agravo, o IPHAN-GO solicitou uma avaliação do Corpo de Bombeiros e recomendou na época, que o tráfego fosse interrompido até que o reparo na sua estrutura fosse realizado. E também, comunicou às Prefeituras de Itumbiara e Araporã, que são as responsáveis pela a conservação e manutenção da Ponte.
O procurador do Município Mauro Luiz disse que a Prefeitura de Itumbiara contratou o Departamento de Engenharia da Universidade Federal de Uberlândia, para fazer um estudo sobre o que precisa ser feito na ponte, e disse ainda, que a equipe da UFU esteve por duas vezes na Ponte Affonso Penna e já emitiram os laudos técnicos sobre atual situação, e assim que correrem os trâmites legais do processo, as obras devem ser realizadas e a ponte liberada.
No dia 14/ 09, uma equipe da Prefeitura de Itumbiara, fez um reparo da parte de iluminação da ponte. Porém, a parte de engenharia para o conserto, ainda não há data para iniciar os serviços.
Veja abaixo a nota que IPHAN emitiu:
A interdição da Ponte Pênsil Affonso Penna não foi feita pelo Iphan. Durante visitas de fiscalizações do Iphan-GO na Ponte, bem tombado desde 2012, técnicos do Instituto constataram sérios problemas estruturais comprometendo a segurança dos que nela transitam. Para as devidas manutenções, o Iphan-GO encaminhou um relatório para as Prefeituras de Itumbiara-GO e Araporã-MG, responsáveis pelo bem, listando os problemas estruturais apresentados. No mês de abril deste ano, o Iphan-GO realizou uma nova vistoria na Ponte e constatou que a estrutura ainda não havia sido reparada e foi detectado um outro fator preocupante, a presença de cabos de sustentação se desconectando, indicando um possível desequilíbrio de forças. Devido a esse agravo, o Iphan-GO solicitou uma avaliação do Corpo de Bombeiros e recomendou na época, que o tráfego na Ponte fosse interrompido até que o reparo na sua estrutura fosse realizado.
Atenciosamente,
Marianne Carrijo Cardoso
Comunicação
Superintendência do Iphan-GO