Famílias pobres ocupam supermercados nas capitais do Brasil.

0
294
Centenas de famílias pobres do Brasil, lideradas pelo MLB (Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas), organizou a ocupação de supermercados por famílias em nove estados, nesta quinta-feira (16/12), com o objetivo de chamar atenção para a situação de fome e miséria, agravada durante a pandemia, e arrecadar cestas básicas para pelo menos para 6.000 (seis mil) famílias inscritas no MLB.
“Escutamos falar sobre o Natal e já imaginamos um momento de muita fartura. A mídia divulga imagens de ceias fartas, famílias felizes, mas essa, não é a realidade de grande parte da população, que vai passar o Natal sem ter nem água para beber”, afirmou
Poliana Souza, da coordenação nacional do movimento.
A ação batizada de “Natal Sem Fome” resultou na ocupação de 20 supermercados da rede Extra, em pelo menos nove estados, por centenas de famílias, que estão em situação de rua e insegurança alimentar, segundo os organizadores do movimento.
No Recife, a ação aconteceu no Extra no bairro da Madalena, zona oeste da cidade, com a presença de cerca de 200 pessoas. Souza afirma que a ideia de ocupar a rede, pertencente ao GPA (Grupo Pão de Açúcar), é uma tentativa de conseguir doações de alimentos para famílias, já que o lucro da empresa aumentou no ano passado.
Em 2020, o GPA lucrou R$ 1,092 bilhão, após registrar prejuízo de R$ 285 milhões em 2019. Neste ano, a empresa acumula ganhos de R$ 28 milhões até o terceiro trimestre.
De acordo com Souza, a empresa participou de uma reunião com representantes do MLB e ofereceu 400 cestas básicas para serem distribuídas no país todo. “Não aceitamos essa oferta. Temos uma demanda de 6.000 famílias que estão passando fome, doar 400 cestas é muito pouco”, disse. Segundo ela, o MLB e o GPA devem fazer novas reuniões.
Movimento existe desde 1999
O MLB existe desde 1999 e atua em 16 estados e no Distrito Federal, segundo os coordenadores. Surgiu a partir de ações de reivindicação por moradia em Belo Horizonte e Jaboatão dos Guararapes, na região metropolitana do Recife. Na época, criou na capital mineira a ocupação Vila Corumbiara, que ainda existe.
Kleber Santos, representante do MLB em Pernambuco, diz que ” a especulação imobiliária financia, á campanha de muitos políticos, que estão no poder, que o povo quer uma moradia digna e luta para fazer valer a Constituição. Muitos acham que criminosos somos nós, mas na verdade são aqueles que protegem a especulação imobiliária”, disse ele.
Os organizadores afirmam que participam do movimento aproximadamente 65 mil famílias e que a procura aumentou nos últimos anos, com a crise, o aumento do desemprego, da fome e a falta de moradia.
“A grande maioria são mães solo negras, pessoas negras e periféricas no geral, que não têm acesso ao emprego”, disse Souza.
“A luta pelo direito à cidade, sempre existiu. Agora existe uma concentração maior de pessoas nos centros urbanos, e também, a falta de política habitacional, principalmente nesse atual governo, faz com que mais pessoas vejam as ocupações dos movimentos sociais como uma saída para garantir a moradia”, afirmou.
Pré-candidato à Presidência da República
O MLB se articulou para entrar também na política. Parte dos integrantes, junto com outras instituições, se uniram para formar o Unidade Popular (UP), partido registrado oficialmente em 2019. Em 2020, o UP apresentou como pré-candidato à Presidência da República o ativista Léo Péricles, integrante do MLB.
Fonte: Uol, por: Giovanna Carneiro
Colaboração em Recife
Edição: Jornal Cidades – Wilson Barbosa
+6
0
Pessoas alcançadas
0
Engajamentos
Turbinar publicação
Curtir

 

Comentar
Compartilhar