Escolas suspendem aulas em Goiás

0
644

 Depois de assinar Decreto suspendendo eventos em todo o Estado de Goiás, O Governo de Goiás, através da Secretaria Estadual de Saúde (SES) emitiu nota técnica neste domingo (15) suspendendo as aulas em todos os níveis educacionais, públicos e privados, para evitar contaminação por coronavírus.

A recomendação é para as instituições de ensino organizarem a paralisação das atividades a partir de segunda-feira (16), com tolerância máxima até quarta-feira (18). As aulas ficarão suspensas por 15 dias, E as atividades escolares continuam apenas para estudantes universitários dos cursos de saúde.

Ainda de acordo com o documento, a interrupção deve ocorrer de preferência por meio da antecipação das férias escolares. A paralisação pode ser prorrogável a depender da avaliação da autoridade sanitária do Estado.

Em Goiás, a SES confirmou 85 casos suspeitos em investigação e quatro pacientes com coronavírus confirmados, sendo três em Goiânia e um em Rio Verde, região sudoeste de Goiás. Os casos em investigação já tiveram amostras coletadas para a realização de exames. Outros 49 foram descartados, com resultados dos testes negativos para o vírus. Não há confirmação de óbitos em Goiás.

A secretaria esclarece ainda que não há transmissão local e nem comunitária da Covid-19 em Goiás. Todos os quatro casos confirmados se infectaram em outros países. Portanto, um exagero do Governo de Goiás, em  praticamente parar o Estado.

Goiânia avalia suspensão de aulas

A Secretaria Municipal de Educação e Esporte de Goiânia informou que a suspensão das aulas será avaliada após reunião entre órgãos municipais. Hoje, segunda-feira (16), as instituições receberão os alunos normalmente para efeitos de “orientação, contudo, sem prejuízos para aqueles que optarem pelo não comparecimento”.

A SME aponta, ainda, ter criado um Comitê de Crise que trata, diariamente, dos assuntos e atualizações pertinentes ao combate do COVID-19, “Portanto, as medidas devem ser adaptadas conforme a evolução do cenário epidemiológico”, diz a nota.

Municípios também seguem orientação

A Secretaria Municipal de Educação de Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital, informou em nota que as aulas acontecem normalmente na segunda-feira (16) em todas as unidades da rede municipal de ensino.

A paralisação será discutida pela manhã entre o Comitê de Prevenção e Combate ao Coronavírus e a Secretaria Municipal de Edução para avaliar a recomendação emitida pela Secretaria Estadual de Saúde.

A Prefeitura de Caldas Novas também informou que suspenderá as aulas nas redes pública e privada a partir de segunda-feira (16) e todos os eventos de quaisquer natureza também estão suspensos por 15 dias.

CIDADES DO SUL DE ESTADO SUSPENDEM AULAS, A PARTIR DO DIA 18 DE MARÇO E VOLTAM NO DIA 02 DE ABRIL.

 A maioria das cidades do sul suspende as aulas na quarta-feira, 18/03 e retornam no dia 15 de abril.  É o caso de Itumbiara, Goiatuba, Buriti Alegre e outras cidades do Sul de  Goiás. O Município de Morrinhos suspendeu as nesta segunda-feira (16/03) e está discutindo os procedimentos que devem ser tomados, em relação às prevenções  contra o COVID-19.

UFG e PUC suspendem aulas

A Universidade Federal de Goiás (UFG) decidiu suspender as aulas presenciais dos cursos de graduação, pós-graduação e do Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação (CEPAE) pelo período de 15 dias, a contar do dia 16 de março de 2020.

As colações de grau também foram paralisadas como medida de prevenção. Além disso, servidores, docentes ou alunos que estiveram no exterior – a trabalho ou a passeio – devem ficar em isolamento domiciliar de 14 dias antes de retornar para as atividades acadêmicas.

A instituição também cancelou eventos que pudessem ocasionar grande aglomeração de pessoas, como simpósios e congressos.

A PUC Goiás comunicou no domingo (15) que as aulas presenciais dos cursos de graduação e pós-graduação estão suspensas, com efeito imediato, por 15 dias. As aulas teóricas, no entanto, acontecerão em em ambiente virtual, na internet.

Veja as medidas na íntegra:

  • Paralisar as aulas, de preferência por meio da antecipação das férias escolares, em todos os níveis educacionais, públicos e privados, de modo a interromper as atividades por 15 dias preferencialmente a partir de 16/03/2020, com tolerância máxima até 18/03/2020, podendo tal paralisação ser prorrogável a depender da avaliação da autoridade sanitária do Estado.
  • A exceção se aplica aos alunos universitários dos cursos da área de saúde; para estes, recomenda-se que sejam incluídas imediatamente, e em todas as disciplinas e períodos, aulas alinhadas às orientações téc
  • nicas dos protocolos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde de Goiás, abrangendo as características epidemiológicas, diagnósticas, clínicas e terapêuticas observadas na COVID-19 e nas demais Síndromes Respiratórias Agudas Graves, com foco no indivíduo e na coletividade.
  • Determina-se ainda que as aulas para os universitários dos cursos da área da saúde sejam ministradas em grupos menores, de até 10 pessoas, preferencialmente em salas com janelas e corrente de ar natural, e não somente ar-condicionado.
  • Todos os universitários da saúde deverão se comportar como aliados no combate à pandemia COVID-19, sobretudo como propagadores de informações técnicas, fidedignas e responsáveis. A qualquer tempo, o poder público poderá convocar todos os graduandos da saúde a ajudarem nas unidades de saúde atuais ou que venham a ser montadas com a finalidade de combater a pandemia e outras implicações ao sistema de saúde relacionadas à COVID-19.
  • Aos órgãos da administração direta e indireta, empresas públicas, privadas e do terceiro setor, a avaliação imediata da possibilidade de realização de teletrabalho em todas as áreas com perfil administrativo, resguardando atendimento ao cidadão; bem como o compartilhamento com todos os servidores/funcionários de informações relacionadas à prevenção e tratamento da COVID-19.

Por Rafael Oliveira, G1 GO

 Edição – Wilson Barbosa

Jornal Cidades.